domingo, 6 de maio de 2018

Falando em amor




Te amo da altura do infinito ao rés 
do chão em toda profundidade que 
minha alma possa alcançar.
Através do sol, nas orações que te 
concedo ao tremular das velas.
Te amo em todos os meus dias
mesmo que te sinta distante
 no frio acelerado das horas que 
estão em todos os dias.
Amo livremente como os homens
que lutam pela paz 
...com a paixão posta em uso
com a pureza da minha infância 
e antigas mágoas que vivem em mim...
 Amo com um amor que me era
desconhecido assim como desconheço
o rosto dos santos ungidos.
 Te amo com minhas lágrimas e 
a ansiedade de toda uma vida
e devo  amar mais,muito mais...
quando partir.



                                         Marcia Portella


Imagem_Hannes Caspar



sábado, 5 de maio de 2018

Aroma




Nunca peço ao silêncio que se cale
entrego-me ao som de sua voz
que desperta meus sentidos
 ouvindo os gemidos de minha alma.
É o amante que aplaca meus anseios
levando-me a vislumbrar a lua
com olhos borrados de nuvens 
derramando em gotas de céu...
No aroma morno da noite 
em seus braços adormeço.


                                    Marcia Portella



Imagem _Web

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Um instante




A vida é curta:um grito
um beijo,um sino.
Assim o instante 
se encerra e a existência
encontra o final 
para servir de alimento
às estrelas,ao éter ardente
ao espaço fluido
em meio ao silêncio denso
com todos os sons
pairando no ar
e um vento que
não acha nada para vergar...


                                                          Marcia Portella
Imagem Web

domingo, 21 de janeiro de 2018

A procura


Ela faz um poema para que
a sombra que a acompanha leia.
A sombra se retrai temerosa;não quer
entrara em um mundo repleto de
divagações e buscas...

Ela com olhos pesados de sono,
vaga em meio as águas indo além;
na tentativa de descobrir seus segredos
no abismo dos pesadelos.

Posta-se em vigília temendo escorregar
na senda estreita da mentira, que 
a levam a condenação do inferno
soltando o mal;névoa que rastreia
  urnas proibidas em estreitos caminhos.



                                     Marcia Portella 



Imagem_Llona Pulkste

sábado, 16 de setembro de 2017

Quando ele parte




O amor sempre morre.
Num final de tarde 
Em uma nesga de tempo
Num rasgo de ilusão
De forma tempestuosa
entre lençóis...
Morre no silêncio das vozes
Em ecos solitários
Perambulando por praças,
cinemas,ruas escuras, 
na inércia dos sentidos.
O amor morre restando apenas 
um leve beijo nos cabelos
a imagem de suas costas e 
 o ruído da porta se fechando.



                                                        Marcia Portella

                                                                                    22/02/12
Imagem_Web

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

No espelho





Olha no espelho.
O que vê são nuances desbotadas
do colorido que já foi intenso.
Curvas bem delineadas,e no olhar
brilho que não cintila como antes.
Seus cabelos estão entremeados
de fios descoloridos.
Ao acariciar o rosto sente como
num sopro de vida marcas
 que o tempo instalou.
Gerou vidas,moldou almas.
Conheceu a paixão indo de um
 abismo a outro à procura de
uma ilusão atrevida...
 O hálito da noite chega manso
 deslizando por sua pele como
 o amor após longa espera.
Com um arrepio no olhar sente 
como alguém que foi embora e sua
sombra ficou vendo a partida
Livre sem algemas-
Ama-se pela primeira vez.


                                         Marcia Portella


Imagem_Francine Van hover

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Versos seus





Em uma tarde de inverno
com o vento mostrando o caminho
e a chuva fina cortando o ar...
Irei à seu encontro vestida de poesia
em estampas de versos seus 
que são como sonhos dentro
 dos sonhos meus.
Cada um dos meus poros estarão
explodindo,faiscando em milhares
de luzes de todas as cores como um
neon intermitente...
Enredada nessa profusão de cores
serei leve sombra perdida,alma que 
agoniza em despedida,saindo invisível
Na madrugada fria...


Marcia Portella

PHOTOGRAPHER Monalli