domingo, 7 de abril de 2019

Invasão




Invadiu minha vida 
com um vento parecido
com o hálito das fúrias.
Mudou meu nome, 
Rasgou meu endereço,
Apagou meus dias.
Faminto, devorou meus 
segredos,meus poemas
 minha razão e meu silêncio.
Desfolhou-me em versos
melancólicos.
Soltou os alinhavos que
 prendiam minha história
 ...da poetisa fez poesia.



Marcia Portella

Imagem_Pinterest

sábado, 2 de março de 2019

Procura-se




Procura-se um poeta para poetizar
no lugar do outro que partiu.
Que como ele, seja um tanto louco
brandindo em gritos roucos
seus amores e fracassos.

Que um dia seja dramático 
e no outro ...palhaço.
Que tropece nos versos embriagado
de emoção,resvalando em dores
...morrendo de paixão.

Que seja lunático ao dizer com seu
jeito enfático que é são;com brilho
irônico no sorriso plácido.

Que viva com a intensidade da morte
e morra com a intensidade da vida,
dissipando o tempo em minutos sem
sentir dor,amor e saudade apenas
...acordando a poesia adormecida

Marcia Portella _
2017

art_Bugas Caytano

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Eternamente




Era noite quando ele saiu com cuidado
fechando a porte suavemente
como se alguma coisa fosse quebrar.
O ar estava impregnado de um leve
perfume;a luxuria das flores.
Tudo parecia suave, a fronteira da luz
 a chuva suspensa lá fora
 as perguntas caladas
  o cheiro do jacinto
  o silêncio da primavera em lágrimas
 ...e décadas de loucuras.


                           Marcia Portella_2018


Imagem_Pinterest

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Sem atalho



  


Sem atalhos

Sei que não volta mais
partiu silenciosamente sem que
 seus olhos vissem minha dor.
Meus cabelos bastos rarearam 

  Muitos anos atravessaram a estrada
  do meu corpo que trava uma guerra
 dentro de mim onde meus exércitos
 investem em batalhas violentas.

 Bravamente meus soldados morrem
  deixando suas  tumbas  tatuadas
em dores em minha pele.

Sinto-me frágil e cansada
Arrasto minha alma que afoga em um
 poço de dor onde continuo vivendo,
  amando, e ao mesmo tempo ...morrendo




Marcia Portella 

(30/08/18)




Imagem_by Josephine Cardin 

domingo, 11 de novembro de 2018

Fúria



Saí do prumo em lamentações furiosas.
Invadi sentidos
Destruí vidas
Parei o vento
Cerquei o tempo
Invadi o silêncio
calei o mar
Amedrontei Zeus
Acendi vulcões
Fiz pacto com as sombras
...Matei a morte
Cessei o canto,cortei asas
Escureci olhos
Derramei veneno
Cerrei as portas do templo
Gritei em tormentos
Escutei o vento gemeu
A noite cair.
Derramei água santa
Rasguei minhas vestes,fiquei nua
...Na nave fria pedi clemência
Madona cobriu-me com se manto
Tornei-me a porta do sonho
Concha infinita devoradora
plena de morte e vida
incrustada em luz
Na escuridão...



                                              Marcia Portella

                                                            (10/07/2010)



Imagem_Brenda Zhang


terça-feira, 14 de agosto de 2018

Poesia e folia



A poesia me tira o fôlego
Bebe meu vinho
Me chama de menina
Despenteia meus cabelos
Gosta do meu batom vermelho
Do perfume que me envolve
Das minhas meias de seda.
Desce mansa nas águas do tempo
Me afogando em agonias;com seu olhar
Atrevido seu amor desmedido, soluçando
Queixumes como letra de bolero.
Tento escapar como pássaro do
  Passarinheiro com seus versos 
Rodopiando à minha volta em 
Revoadas de desejos como pirilampos,
 Em emissões luminosas...
Vestida de noite com o luar no olhar
Rima meus versos
Acorda meus sonhos 
Pede pra ficar...


Macia Portella-2011


Imagem_Web

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Psiu! silêncio...



Psiu!silêncio...
O tempo dorme 
ao despertar apressado
vai me encontrar.
Quando eu for ...
Não matem flores em mim.


                                                 Marcia Portella

                           Imagem_Google