quarta-feira, 11 de março de 2020

Entre águas



Olhou para o amor, fingindo 
que lhe era indiferente, fugindo
em um momento sem fim.
Rasgou sonhos rindo ao 
fingir ser feliz.
Tentou viver como se nunca 
tivesse  pensado em  perder-se
entre duas águas, que agitam
no mesmo mar alastrando,invadindo,
sacudindo a alma,tornando-a
frágil e sensível indo ao encontro
de quem quer perder.


Marcia Portella_
02/03/2019
Pintereste
--

8 comentários:

  1. Conhecendo seu espaço poético. Um cantinho reservado de enlevo em fascínio.

    Mônica Pamplona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Mônica feliz com sua presença em meu espaço.Te abraço

      Excluir
  2. Reitero os aplausos e o prazer de ler seus impecáveis e transcendentes versos. Bravoooo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paolo,gratidão por sua presença em meu espaço.Te abraço

      Excluir
  3. Como sempre suas pérolas literárias nos dão motivos de contentamentos em lê-los.Prazerosa noite,doce poeta..

    ResponderExcluir
  4. Diney, grata por passar em meu recanto.Te abraço

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia teu Jardim de Alma poética ! foi BOM! Ler-te É SEMPRE UM PRIVILÉGIO! OBRIGADA!

    ResponderExcluir